- Nenhum comentário

Estado alarmante na Rua Projetada 30: criadouro de mosquitos e esgoto aberto

Atendendo à solicitação de uma moradora da região, comparecemos à Rua Projetada 30, com o intuito de registrar a situação de tal rua no que se refere ao saneamento. 

Ao chegarmos no local, nos deparamos com um esgoto que se abre em três locais no seu percurso sem destino. Em uma das aberturas, onde deveria haver uma rua calçada, encontramos um morador que estava limpando o local por conta própria. Este nos informou que já fez algumas
solicitações junto às autoridades na tentativa de solucionar o problema. O mesmo morador relatou que há insetos em grande quantidade em sua casa, que são atraídos pelo esgoto. Ele ainda disse que se vê obrigado a comprar repelentes e inseticidas com frequência.

Mais adiante, uma residente da rua, Vânia, nos abordou para mostrar o esgoto de seu quintal. Constatamos ali a presença de larvas de insetos em grande quantidade. Vânia nos disse que frequentemente vai à Prefeitura Municipal em busca de uma solução, mas sem êxito. E que estava “sem cara” de aparecer mais lá. Disse também que já falou com o fiscal ambiental, conhecido por Carlos Bueno. O relato da moradora diverge do apresentado pelo Sr. prefeito Gislan Alencar no mês passado na Naza FM, onde o mesmo disse que bastava que os moradores apresentassem suas solicitações junto à Prefeitura para serem atendidos. 

Do outro lado da rua, fomos abordados pela moradora Marizan da Silva Santos, que inclusive é agente de saúde há quase duas décadas. Ela nos disse que já procurou a Vigilância Sanitária, mas que eles se pronunciaram dizendo que não era assunto deles. Marizan informou que acontece de passar um tempo considerável sem receber a visita de agentes de endemias. Quando a visita é feita por parte dos agentes,  os mesmos dizem estar sem o material de combate às larvas. A agente de saúde informou que é comum ver fezes passando pelo esgoto, lembrando que o esgoto passa em frente às casas dos moradores. 

Procurando o fiscal ambiental, este nos orientou que o assunto deveria ser tratado com o secretário de obras - Sr. Armando Felipe. Carlos reconheceu já estar ciente dos problemas de tal rua. Quando encontramos Armando, ele afirmou que não pode resolver todos os problema da cidade de uma única vez. Considerando que o fiscal ambiental já estava ciente da situação, e que o secretário de obras não dirigiu esforços para resolver os problemas da Rua Projetada 30, falta, no mínimo, comunicação entre eles. Ao nosso ver, de nada adiantará que campanhas de conscientização sejam realizadas, se os responsáveis sabem de focos de proliferação do Aedes Aegyptie e não agem diretamente no local. 

Confira as imagens e um vídeo que mostram a situação:



Local onde o morador estava realizando a limpeza


Vista geral da rua




Esgoto no  quintal de uma das moradoras citadas 



0 comentários:

Postar um comentário

Conte-nos o que achou disso!