- Nenhum comentário

Presidente do Sport descarta jogos de portões fechados: "Não é solução"

Quase um mês depois da suspensão das competições, devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, ainda não existe cenário previsto para o retorno dos jogos. Com dificuldade financeira e sem poder contar com a renda das bilheterias, o Sport anseia pela volta do futebol. Mas o cenário, assim como o aumento da contaminação pela Covid-19, fazem com que o presidente leonino, Milton Bivar, descarte as partidas sem público como solução.

"Temos voltar o quanto mais cedo melhor. Mas tem que ser avaliado. Não concordo em voltar de portões fechados, isso é meia solução. Aliás, nenhuma solução, porque mesmo jogo de portões fechados envolve não sei quantos profissionais.. Quase 300 pessoas. E meus atletas? E os do adversário? Médicos, segurança, toda a comissão técnica, imprensa... Envolve muita gente."
Foto: Anderson Stevens/Sport

Na Ilha do Retiro, retomar as competições com portões fechados, ainda que colocasse as disputas novamente em curso, representa perdas em termos financeiros. Uma vez que o clube seguiria sem poder contar com a renda dos jogos. Como mandante em 2020, o Leão arrecadou mais de R$ 300 mil de receita líquida em sete jogos. Com base na previsão do orçamento do Rubro-negro para a temporada, no entanto, os valores representam 5,2% do total (R$ 5,8 milhões), número aprovado pelo Conselho Deliberativo em outubro.

O cenário ideal, no entanto, ainda não está entre as projeções de Milton Bivar. Com o Pernambucano e a Copa do Nordeste em curso antes da paralisação, além da Série A do Brasileiro para jogar neste ano, o mandatário aguarda pelas mudanças de cenário da pandemia.

Férias ampliadas


Após conceder férias ao elenco até 20 de abril, em decisão junto a outros clubes do futebol brasileiro, por conta da pandemia causada pela Covid-19, o Sport ampliou o período por mais 10 dias (até o fim do mês).
 
A possibilidade de prorrogação das férias por mais 10 dias, vale lembrar, estava prevista na decisão dos clubes junto à Comissão, ainda no fim do mês passado. O Rubro-negro, por sua vez, acompanha o cenário da crise sanitária no país e as orientações da CNC e Confederação Brasileira de Futebol para determinar os próximos passos.

Por Globo Esporte PE. 

0 comentários:

Postar um comentário

Conte-nos o que achou disso!